terça-feira, 10 de março de 2009

Azul



Nesse azul do mar,

onde vivo a admirar,

foi que encontrei minha tranquilidade,

minha tão sonhada paz.

Os planetas cósmicos,

a terra e o oceano,

o inverno e o verão.

Eu prefiro a segunda opção.

Quem sabe,

eu também goste das neves a cair ao chão.

Vejo lindos pássaros a voar.

É belo seu cantar.

Sinto o vento frio passar,

é de arrepiar.

Percebo que falta alguém,

existe nessa paisagem um vazio, sem ninguém.

As estrelas não páram de brilhar,

não canso de olhar,

me parecem piscar como um olhar.

É inverno, ao mesmo tempo, outono.

Falta o verde, só existem àrvores secas

e a neve a cristalizar.

Vejo caminhos a serem traçados,

linhas do destino sem destino.

Será meu desatino?

Oceano cheio d'águas,

me leva,

me faz mergulhar nesse mar tão profundo,

me afoga nesse azul,

isso me faz refletir e repousar feliz.

Não se assombre essa noite,

vai se calar para o absurdo?

não espere do inesperado.

Sinta o amor que nos une.

Esse forte azul de lágrimas naturais.

Deixe eu ser teu manto.

Seja meu mantra.

Sou teu sol e lua.

Que loucura!

Não desvie teus olhos azuis de mim.

sábado, 7 de março de 2009

A outra

Pareço está com raiva?
Por que está tão calada?
Desculpa, essa é minha cara.

Não estou aqui pra te agradar.
Quanto mais me importar com o que falas.

Você me dá preguiça até de falar.
Já pensou em se consultar?
Conte-me mais sobre isso.

Gosto do diferente, isso me atrai.
Eu te distraiu?
Infelizmente, os opostos se atraem.
Calma, quem comigo se iguala,
é o que fica no final.

Não quero sofrer e
acho que você também.
Então, desajoelha do chão.
Para que implorar perdão?

Eu já te perdoei.
Pára com esse choro.
Por que ainda se humilha?
Pior sentimento que posso sentir,
não quero ter pena de ti.

Você teve sua última chance.
Não soube usá-la da maneira correta.
Não me afugente.
Deixa-me na solidão.

Segue aquele caminho que a outra deixou.

terça-feira, 3 de março de 2009

Achados e perdidos

Quem achou meu coração frio?

Sereia apaixonada

Minha timidez te faz falar.
Minha sinceridade te faz pensar.
Meu jeito te conquista.
Meu olhar te hipnotiza.
Meu humor te enche de alegria.

Sou uma cereia.
Vivo neste mar.
Te encho de encanto.
Por que esse pranto?

Teu coração é meu oceano.
Grande, belo e profundo.
Esse amor será oportuno.

Como lhe terei em meus braços?
Como viverás humano?
Sou peixe, sou mulher.
Diga-me uma palavra mágica.
Abra sua margem.

Oh, lua graciosa.
Oh, céu estrelado.
Por onde anda essa tal liberdade?
Por que agora eu preciso de você?
Vou adoecer, não me deixe morrer.

Faça sol, faça chuva.
Dai-me um sinal!
Hoje, sou eu que vivo em prantos.
Não sei se canto, eu só danço.

Quero ao menos te dizer,
que virei humana.
Tu foste meu encanto.
Sem clichês, poderei ter você?

Procura-se

Um grande amor.

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Partida

Na calada da noite,
me sinto sozinha.

Ando a vagar sem destino.
Preciso de alguém para seguir?

Será que meu lugar é aqui?
Pensei em desistir.

Não sei fingir.
Não vou fugir.

Ainda tenho muita coisa a cumprir.
Me tire daqui.

Vou dirigir nessa estrada sozinha,
colocar minha mochila nas costas
e vagar por aí.

Não quero me despedir.
Me deixe sorrir.

Se quiser vir,
procure me sentir.

Gosto do verdadeiro,
se entregue por inteiro.

Caminhos que vou escolher,
lados que vou dividir.

Tenho que partir.

Desapareça

Desculpa essa minha ausência.
Andei pensativa.
Sentiram minha falta?
Faltaram ânimos.
Esquecestes de mim?
Não és mais aquele que conhecia.
Mudou bastante.
Tudo ficou fora do lugar.
Só me perdi.
Não me acho mais em ti.
Não te interrogo.
Quem sabe ainda sente.
Ainda moras aqui?
Deixa teu brinquedo de lado.
Tome cuidado.
Cria consciência.
Desejo-te sorte.
Olha teu filho.
Fruto do teu sangue.
Deixe essa vida vazia.
Se encha de alegria.
Procrie.
Suba os degraus da vida.
Se vire sozinho.
Esqueça que um dia existi.
Saia desses cantos malditos.
Existe chão na terra.
Pise-os e siga.
Não pare na curva.
Desapareça daqui.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Pensamentos

Pensamento que não pára de falar.
Já se foi, já está dito.
Isso não tem volta.
Palavras podem ferir,
te fazer chorar ou sorrir.
Peço perdão por essa minha sinceridade.
Ainda não parei de pensar.
Isso nunca vai parar.
Não se encha de perguntas.
Fique esperando esta hora chegar.
Cuidado, ela pode passar.
Por que sou uma fingidora?
Poetas não escrevem o que sentem.
Será que você sente?
Pega a cadeira e senta.
Pensa, repensa.
Melhor, nem pensa.

domingo, 15 de fevereiro de 2009

Doença

Saúde?
Não, gripe.
Quem sabe, virose.
Não, crise de garganta.
Parei na emergência.
Estou a me medicar.
Exames e mais exames,
fiz e refiz.
Talvez recupere só com cirurgia.
Faz chá.
Bebe muita água.
Toma isso e aquilo.
Evita isto.
Não faça daquilo.
Cansei de repousar.
Assim, vou endoidar.
Eu vou melhorar.
Desculpem esta minha ausência.
Motivos maiores sempre falam mais alto.
Eu estou intacta.
Ficarei bem de novo.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Salvem o homem

O homem precisa ser reestudado.
Tem que ser reinventado.
Deus lhes criou para cuidar do que é nosso.
Acabam de cair várias lágrimas no chão.
Essa chuva não é para festejar a vida na terra.
É para mostrar o que vocês têm feito.
Os tremores de terra, os alagamentos nas cidades,
os abismos, queimadas, a extinção,
tudo isso é nossa culpa.
Não me culpe, eu faço minha parte.
Não queira salvar o planeta, se salve.
Nunca culpe à Deus pelos seus erros.
Pensa no mal que estais fazendo.
Reconstruam, plantem.
Ouçam os últimos suspiros.
Peço calma.
Não se mate, está se destruindo.
Meus olhos estão cheios d'água.
Levanta dessa cadeira, solta esse dinheiro.
Por que o homem torna-se tão frio quando se tem o poder?
Fecha os olhos, reflita sobre o que tens feito nesse planeta.
Feliz daqueles que moram na natureza,
respiram o pouco de ar puro,
andam entre animais,
se alimentam e bebem do que tem.
Se banham no mar.
Estes sim, sabem o bom de viver.
Bens materiais não vão pro teu velório.
Deixa para trás o orgulho, rancor, maldade.
Sei que não podes mudar mas tentará melhorar.
Assim espero, um dia eu olhar meus filhos sorrirem pro que vêem.
Uma outra lágrima de felicidade cairá do meu olho.

Te encontrei

Penso tanto em ti.
Já não sei explicar qual motivo,
razão e porquê de nos encontrarmos.
Foi tão de repente, nos gostamos rápido.
Acredita em amor além da vida?
De tanto procurar, achei você.
Veio de forma lenta,
chegando na hora certa.
Não sei se iria aguentar esperar tanto tempo.
A vida não deve ser disperdiçada.
Um minuto sem você poderá ser uma eternidade.
Longe de mim mas perto do peito.
Esse dia que ficaremos juntos está perto de chegar.
Ainda bem que a reciprocidade é verdadeira.
Temos mesmos sonhos e vontades.
Nossas idéias se batem de forma perfeita.
Motivos para bobagens,
discursões sem precisões,
não fazerão parte do nosso cardápio.
Até no signo resolvemos combinar.
Tu és uma parte de mim que faltava,
quem sabe a minha metade.
Deixa tudo acontecer tranquilamente.
Pensamento positivo, sempre.
Quero poder te sentir eternamente.
Guardar esse amor para sempre.
Falar teu nome várias vezes,
respirar em você constantemente.
Tocar seus lindos lábios.
Para mim, você é o homem mais belo.
Nosso encaixe foi bem feito.
Não te deixarei escapar.
Não me deixes falhar.
Se eu errar, me corrija.
Se eu chorar, me dê ombro amigo.
Se eu sonhar, esteja comigo.
Quando eu dormir, beije-me o rosto.
Quero acordar olhando você sorrir.
Fazer nossa família.
Amar nosso filho.
Viver contigo será uma imensa alegria.
Prometo te amar por dias e mais dias.
Que nosso amor seja infinito.

domingo, 8 de fevereiro de 2009

Salve a natureza

Porquê tanto capitalismo.
O dinheiro não te traz paz.
Só aquela felicidade momentânea.
Tanta gente matando.
As florestas desmatando.
Destruindo seus lares.
Acabando os habitats naturais.
Conserve nossa flora e fauna.
Cuide da natureza.
Preserve o que é seu.
Esse planeta pede socorros.
O mundo ainda tem jeito.
Plante sua árvore.
Respeite nosso chão.
Você ainda pisa nele.
Resgate o que desabrochou.
Amplie os espaços.
Reflore-os.
Recicle.
Use a mente.
Pense no futuro de vocês
ou queres teu filho doente?
Não custa nada.
Tenha boa vontade.
Não deixe o mar secar.
Minhas lágrimas não vão cessar.
As geleiras podem derreter.
O calor irá aumentar.
Veja a poluição do ar.
A gente sobreviverá,
se conseguirmos ajudar.
Tenha fé, tudo vai melhorar.
Ame nosso planeta chamado Terra.

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Viva

Presta atenção no que falo.
Me encara.
Está com medo?
Eu não vou te fazer nada.
Arrisca.
Joga tuas fichas.
Não me leia.
Interrogue.
Pronuncie suas palavras.
Agite.
Parece ter tomado soníferos.
Acorda pra vida.
Lá fora, os carros passam.
As pessoas dobram a esquina
e tu aí parado.
Levanta.
Queres esse fim?
Tua morte está para vir.
Viva, enquanto vivo.
Tem alguém que ainda te espera.

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Amizade?

Se eu soubesse que era tudo amizade,
preferia não ter te conhecido.
Sempre deixastes uma leve esperança,
demonstravas algo mais que uma boa amizade.
Eu esperava que um dia ficássemos juntos.
Pensava que seríamos muito felizes.
Queria compartilhar meu dia-a-dia contigo.
Contava com você do meu lado para sempre.
Enfim, nada é pra sempre e ainda mais agora,
que nada passava de grandes amigos.
Detesto essa frase de que gosto muito de você,
infelizmente não te vejo como algo mais.
Não ouse repetir essas palavras.
Quando me pronunciou essa frase,
minha alegria esvaiu-se.
Meu sentimento está confuso.
Meu peito está apertado.
Minha vontade era outra mas
a sua fez tudo mudar.
Acredito que teu orgulho está ferido.
Eu confesso que errei demais.
Estava com medo de me apegar,
com medo de sofrer
e acabei sem tentar.
Hoje não quero dizer que me arrependo.
Pode está me perdendo,
não te vejo mais só como amigo,
se for assim nem vou vê-lo mais.
Eu vou continuar sem entender porquê,
vou esperar, deixar acontecer,
no final sempre dá certo,
com ou sem você, vou ser feliz.

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Vida tradicional

Eu ando por aí.
Vejo vários rostos.
Alegres.
Tristes.
Pensativos.
Apaixonados.
Tímidos.
Loucos.
Nãe me encaixo em nenhum.
Não me sinto à vontade aqui.
Eu não sou daqui.
Pareço o que não sou.
Por dentro e por fora.
Sou única.
São máscaras que camuflam.
Não quero ver lágrimas no rosto.
Eu estou bem.
Eu me vejo.
Seja você.
Não me dê as mãos.
Eu sei o meu caminho.
Ando sozinha.
Mereço alguém melhor que você
e não olhe para trás.
Veja como está linda a lua.
Paixão?
Inexistente no meu dicionário.
Não amei mais.
Ainda ouvirei essa batida no peito.
Pareço falar muito sobre isso,
é que ainda acredito no amor à moda antiga.
Dois velhinhos trocando selinhos.
Até que a morte os separem.

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Novo amor

Sonhei contigo.
Dizem que as almas se encontram.
Eu ainda te encontro?
Sei que hoje estás casado.
Tens tua mulher e tua filha.
No sonho tu me dizias que a tinha deixado.
Você precisava está comigo.
Falavas que iríamos casar quando crescermos.
Que eu seria uma linda mulher pra ti.
Igreja Matriz que tu costumava me dizer,
no dia que seríamos felizes para sempre.
Será que tudo foi passageiro?
Que aquele amor não era verdadeiro?
Te amei calada por vários anos.
Talvez tenha sido bobagem minha.
Penso se poderia ter dado certo e
se agora estaríamos bem, juntos.
O futuro é incerto, a vida é um jogo.
Existem dois lados.
Tu já escolheste o seu.
Espero que sejas feliz
e eu também.
Nunca esquecerei de ti.
Primeiro e grande amor,
não se acaba assim.
Pode ter adormecido,
eu não pensava mais.
De repente,
os sonhos vem me pertubar novamente.
Queria entender porquê.
Posso seguir minha estrada?
Vou amar outra vez
e esse novo amor irá ficar.
Dois corações felizes,
eu e ele.
Você será escondido da minha mente.
Apertei o "delete".
Não iremos mais nos esbarrar.
Eu vou seguir à sorrir
e não preciso mais de ti.
Já basta o tanto que sofri,
ainda não morri.
Hoje me amo mais,
éramos crianças.
Amor de infância e platônico acaba.
Assim espero.
Qual é mesmo o seu nome?
Vou agora pronunciar só um nome
e ainda desconheço.
Irei ver os olhos,
de quem ainda não conheço.
Amarei somente uma pessoa
e já a admiro sem saber.
Sozinha nada sou,
preciso de um ombro amigo
e um coração de marido.
Desculpa se não reconheci você.
Ainda não sei quem tu és.
Se for pra ser meu, será.
Vou esperar esse dia chegar.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Eu

Eu que não sou de falar.
Observo-os.
Sou tímida.
Me torno engraçada por isso.
Digamos que sou sentimental.
É essa minha qualidade de ser romântica.
Para você pode ser um defeito.
Não me importo.
Finjo sorrir.
Sou tranquila.
Espero que não mexam comigo.
Eu me controlo.
Não bebo, não fumo.
Tento simplesmente viver.
Aproveitar cada momento.
Tenho amigos.
Só me falta um amor.
Será sorte?
No jogo nunca tive.
Não sou de dá em cima,
o que você está esperando de mim?
Melhor ficar sentado.
Sou bonita, inteligente.
É o que minha mãe sempre fala.
Não gosto de desistir das coisas.
Lutarei por mim e por vocês.
Sou simples, diferente.
Amo a natureza e os animais.
Quero ainda tocar violão.
Me aprimorar no teclado,
quem sabe piano.
Descer a lenha na bateria.
Não vivo sem música
e você?
Estudo, trabalho,
só não sou feliz no que faço.
Trabalhar com gente não é minha praia,
prefiro os bichos.
Pareço legal, eu sou.
Às vezes, chata.
Sou um pouco complicada mas perfeitinha.
O segredo é ter paciência.
Acho que sou meio suspeita falar de mim.
Me conheça e saberás bem quem sou.
Sinceridade em pessoa.
Bem- vindo ao meu mundinho.

domingo, 1 de fevereiro de 2009

Ninguém

Coração vazio.
Mente extrapolada.
Indecisão que mata.
Procuro e não acho.
Estudo e nada encontro.
Cansei de pesquisar.
Vivo enterrando e desenterrando.
Real ou imaginário.
Letras estagnadas.
Palavras insignifantes.
Pessoas dissimuladas.
Você me atrai,
ao mesmo tempo, distrai.
Sei o que quero.
Não sou furtiva.
Transpareço.
Não te reconheço.
Não entendo.
Não sou de falar, eu ajo.
Palavras demais não me comovem.
Ninguém me move.
Ainda está para aparecer.
O que faz aí parado?
Tira essa dor.
Deixa eu passar
e sorrir com você.
É preciso ter paciência.

Saudades

Ando pensativa.
Será que lembram de mim?
Sempre me interrogo.
Será que gostam ou desgostam?
Muitos esqueceram que existi.
Não sei explicar o motivo dessa vida.
Os caminhos que me levam ao oposto de vocês.
Quantos rostos não vejo mais.
Quantos olhares, sorrisos, conversas,
tudo para trás.
Se o tempo parasse agora.
Se eu pudesse mudar.
Acho que a vida não teria graça.
Só sinto saudades de todos que estão longe.
Dos amigos que fiz e não me reconhecem mais.
Dos amores que tive e não sinto nada mais.
Membros da família que não voltam jamais.
Saudades de alguém que nem conheço.
Saudades de você que está longe.
Talvez a gente se esbarre.
Essa nostalgia que hoje me acompanha.
Sinto falta de algo.
Queria preencher esse vazio.
Só escuto ecos em minha mente.
Talvez um dia nem lembrem.
Nunca esquecerei dos seus rostos.
Queria apenas um simples abraço.
Nada se eterniza.
Novas amizades encontrei.
Não os troquei, só preenchi essa falta.
Espero ter marcado-os.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Esperas

Tempo esse que se espera.
Espera uma vida nascer.
Espera alguém morrer.
O último suspiro.
A vida passa e a gente nem vê.
O dia não anda, ele corre.
Cria pernas, vaga pela cidade.
Te deixa confuso, tonto.
Você cresce.
Simplesmente alguém nem cresce.
Vive uma eterna criança.
Responsabilidade ou liberdade?
Deixou o carrinho e a boneca,
só faz brincar com a nossa cara.
Amanhã é um novo dia.
Não se atrase.
Escute o galo cantar,
o bebê chorar,
o carro passar.
Veja a fumaça no ar, pare de respirar.
Inspire, expire.
A natureza ainda existe.
Exibe o que é belo.
Jogue o sujo no lixo.
Não seja mais um nesse meio.
Cultive o verde, plante!
Não espere ouvir um sim,
levará um não.
Não espero um "eu te amo", fale.
Solte o verbo, pronome, advérbio.
Sinta a emoção.
Sorria para a vida.
Não espere algo nessa longa trajetória que se segue.
Faça sua parte.
Dê o melhor de si.
Não tome o bombom de uma criança.
Não roube nossas bolsas.
Não fume, não se drogue.
Ou desejas ser uma droga?
Dê a mão.
Faça a caridade do dia.
Pense, aja, cante.
Espante quem acalenta teu pranto.
Ouça a batida,
é seu coração.
Existe um ser que vive.
Espere sua hora.
Ela está para chegar.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Amor passado

Passo e tu não me notas.
Não sei mais o que faço.
Penso tanto em ti,
esqueço até de mim.
Coração chama, só te chama.
Ainda guardas nossas fotos?

Penso que um dia te terei de volta.
Oh príncipe, poderei de novo te chamar de meu?
Encontrei um amor,
feliz de quem te acompanhas.
Pena que meu clamor não te abalou.
Será que ainda sentes um pouco do que fingias?
Saibas que fui verdadeira,
te entreguei o melhor de mim,
fui amiga, amante, confidente, sua querida.
Te dei tudo que podia,
te fiz tudo que querias.
Talvez por te amar demais,
hoje vivo a chorar.
Queria ao menos poder,
ver-te uma última vez.
Lembrei de nossos momentos,
eles não se apagam mais.
Eu que pensavas que tu me amavas,
iludida, vivia a sonhar.
Te beijavas,
sentia algo que até hoje não sei explicar.
Agora, não me peças pra voltar.
Não me destes o valor que eu merecia.
Vivia em agonia.
Te esperavas.
Tu fugias de mim.
Estavas ao meu lado mas sempre distante.
Fique longe de mim.
Podes implorar-me de joelhos teu perdão.
Estou decidida a não te querer mais.
Quero paz.
O amor da minha vida ainda está pra chegar.

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Sensações

Nossa, tanta saudade senti.
Ficava no pensamento,
tantos versos, palavras.
Eu consegui.
Quase morri,
não consigo mais viver,
sem escrever assim.
Me controlei,
ao menos tentei.
Lia e relia,
sonhava, fingia.
Ilusão que não queria.
Gerenciei minhas idéias.
Limpei minha mente.
Visualizei paisagens,
observei pessoas,
encarei olhares,
admirei sorrisos.
Isto ajuda-me,
inspira-me.
Tomei banho de chuva,
renovei a alma.
Isto me acalma.
Ouvi sons,
que letras mais belas.
Isto me revela.

De volta

De volta de onde nunca quis partir.
Ressurgida do tempo,
tempo esse que não esqueci.
Lembrava sempre daqui,
sem poder nada fazer,
só sentir.
Hoje estou a tentar,
espero conseguir,
mais uma vez falar,
o que não quer calar.
De novo, tudo novo.
Voltei para ficar.
Vou fincar-me.
Aqui é meu lugar.

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Sem previsão

Será?
Não será.
Já foi?
Ainda é.
Um sim?
Não.
Talvez?
Então,
já nem sei.
Perdida?
Só me acho.
Te perco?
Me encontro.
Nada suponho.
Escrevo só rascunhos.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Ânsia

Ansiedade.
Vontades que matam.
Pensamentos que não páram.
Eu não páro.
Dia que não chega.

Rou as unhas,
mãos suam,
coração bate,
palpita, palpita.
Vem a inquietação.

Chega logo,
o dia está perto.
Conto as horas,
minutos,
segundos.

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Espera

Hoje não esperava mais nada,
até que de repente crio uma esperança,
ainda não tenho respostas.
Amanhã ou depois as portas se abrirão.
Vou deixar a vida me guiar.
Os caminhos ao certo não sei,
existem dois lados
Até lá, receberei uma resposta.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Ausência

Sumiu?
Não pense que senti sua falta,
apenas não entendi.
Acho que estou montando as peças
do quebra-cabeça
e nelas eu não me encaixo.

domingo, 18 de janeiro de 2009

Sonhos

O que eles querem dizer?
Sonhos loucos,
incompreensíveis.

Serão pensamentos?
Vontades?
Ao certo não sei.

Tenho vivido de sonhos,
além do que já sonho em sono.
Há uma relação entre eles?
Também não sei dizer.

Espero somente que não aconteça
e que aconteça,
o que não quero e o que sonho.

Talvez sejam simplesmente perguntas,
que não encontro respostas reais
e em sonhos elas me respondem,
querendo ajudar e na verdade,
só me fazem mais indagar.

Que se torne real o que vivo a sonhar.

Poesia esquecida

Perdão.
É para mim,
não escrevi aqui.
Tempo?
Não.
Quando se quer, dá.
Vontade não faltou.
Talvez estímulo.
Inspiração?
Talvez não.

Estou aqui,
agora a escrever,
por duas vezes,
tudo que queria transparecer.

Prestem atenção,
nas palavras soltas
que sempre tem algo a dizer.

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Palavras jogadas

Ilusões.
Ironias.
Conversações.
Jogo sujo.

Jamais.
Não quero mais.
Farsas.
Saí fora.
Quebrei a cara.
Aprendi.

Palavras jogadas,
que juntas só rimam.
Não jogue mais.

Desisti?
Continuo a tentar.
Só lembre que aqui,
quem perdi é você.

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Indagações

Entendes tudo errado.
O que lestes foram só palavras.
Saibas que foram para ti.
Não te substituir.

Acho que estou a falar,
até por demais,
deixando os pensamentos fluirem
à fora de sua flora.
Não, longe de mim querer te pressionar,
só impressioná-lo.

Na verdade,
nada é concreto.
É uma indagação que cala,
sem querer o coração exala.
Quer aflorar.
Deixarás a flor desabrochar?

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Você

É, não consigo entender.
Queria saber.
A razão disso tudo acontecer.

Você chegou assim,
sem dizer porquê,
sumiu sem eu saber.
Me acertou de cabeça,
ao me conhecer.

Não sei se és certo,
falas demais
e ages depressa.
Pena que essa pressa,
não foi impressa.

Queria puder
sentir outra vez,
aquele abraço que fez nascer,
o que um dia pode crescer.

Enquanto isso,
sigo sem saber.
O que vou fazer?
Não compreendo você!

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Tempo

Passado.
Ontem.
Acabado.

Presente.
Hoje.
Acabando.

Futuro.
Amanhã.
Inacabado.

domingo, 11 de janeiro de 2009

Show

Calor humano.
Sorrisos.
Lágrimas.
Vozes.
Gritos.

Sensação boa.
Mente tranquila.
Som contageante.
Letras absurdamente lindas.

Pensamentos que vão para longe.
Lembranças que vem à tona.
Sentimentos que surgem sem porquê.
Simplesmente lembrei de você.

A lua estava cheia.
O céu deslumbrante.
Era uma noite maravilhosa.

Um show fantástico.
Um público cativante.
Uma banda comovente.

Arrepia.
Dá vontade de voltar.
Pena que tudo termina.

Terá próxima vez.
Vem a ansiedade.
Ah, se o tempo parasse.
Tic-tac, tic-tac.

Tudo o que é bom,
dura o bastante para ser inesquecível,
já dizia um pensador.

Emoções sentidas.
Estas já não voltam.
Valeram a pena.
O que vai, um dia volta?

Assim espero,
em outra vez,
te ver mais uma vez.

sábado, 10 de janeiro de 2009

Mudança

Começo a sentir mudanças.
Novas esperanças.
Será que é dessa vez?
Desejo boa sorte.

Preciso de sinais.
Respostas?
Nosso futuro é incerto.
Ninguém sabe o que é certo.
O que fazer?

Deus, eu peço.
Misericórdia!

Minha parte sempre fiz.
Desculpa se algo eu cometi.
O que fiz foi por ti.

Vai dá certo.
O final acaba bem.
Obstáculos?
Carregue sua cruz.
Vamos suportar!

Quero a felicidade geral.
Ouço pedidos de orações.
Em cada momento,
alguém nasce,
alguém morre.

Mantenha seu ego.
Levante a cabeça.
Derrotado?
Calma!
Tudo passa.

Tenha fé.
Não desista.
Seja brasileiro.
Cabra macho.
Você é cearense.
Não tenha só cabeça chata.

Estou de volta.
Voltei à tona.
Inimigos,
vão ter que me engolir.

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Fila pública

Fila para banco.
Fila para compras.
Fila para o ônibus.
Aqui tudo são filas,
assim como tudo são flores?
Acho que não.

Gaiato?
Sempre tem um querendo furar.
Começa o ti-ti-ti, blá blá blá.
Quem gosta de se estressar é só vir pra cá.

Passam minutos, horas.
O dia terminou.
Chega à noite e ainda estamos lá.
Que crise.
Será mal de pobre?
Não, bem-vindo ao Brasil.

Por final, será que resolveu tudo?
Geralmente não.
Que desorganização!

É, confesso que é de se indignar.
Confusão pra lá e pra cá.

Adore as coisas simples.
Cante uma canção,
respire fundo,
sorria que você pode está sendo filmado.

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Pior das poesias que fiz...

Moro onde nasci.
Tenho vinte anos.
Vivo de sombra, sol e sonhos.

Na minha casa,
cresci,
aprendi,
chorei,
sorri,
amei,
sofri e
viverei.

Não pretendo morrer aqui.
Ainda vou casar e sorrir.
Novo lar fincarei ali.
Amar com o coração,
ser amante,
companheira,
ter nossos filhos.

Nova geração criarei.
Novo ciclo reconstruirei.
Vidas e mais vidas transformarei.

Quero ser lembrada,
por você que tanto amarei,
pelos meus filhos e netos.
Simplesmente vivo para servir e ser servida.

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Insônia

Insônia,
não me deixa dormir.
Atormento.
Te faz rir?

Será que foi pelo que eu disse?
Ou não disse?
Pelo que fiz?
Ou não fiz?
Posso admitir?
São mistérios que tu deixas não sair.

Deito e não me fixo.
Agonia que dá.
Levanto.
Tento concentrar.
Só distraiu.

Volto ao meu leito.
Cochilos meramente fragmentados,
olhos que insistem querer enxergar,
sonos leves que simplesmente passam e repassam.
Sonhos?
Apesar de tanto eu pensar,
não dá tempo de lembrar.

Escuridão da noite?
Já começa a clarear!
Olho pro relógio.
Nem queira sentir a tristeza que dá.

Desisto.
Viro zumbi.
Desliga o alarme.
Não precisa acordar,
quem ainda está belo a sonhar.

Peço que aguente.
Sou um bicho solto sem sonhar.
Bicho esse que é humano,
que ainda sonha em não acordar.

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Sem resposta

Silêncio.
Palavra oculta.
Sentimento escondido.
Amor contido.

Grito.
Medo.
Raiva.
Aflições vividas.
Volto ou fico?

Vazio.
Vácuo.
Coração partido.
Estou partindo.

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Praia

Mar.
Maré cheia.
Maré baixa.

Belo e profundo.
Azul.
Verde.

Ar puro que exala.
Enche-nos de vida.
Alma limpa.

Bom som que soa aos ouvidos.
Ondas que vão e vem.
Tudo que vai, volta?

Sal na pele.
Sol.
Bronze do corpo.
Pegadas na areia.
Te levam ao infinito.

Casais na praia.
Sonhos concretizados.
Mãos dadas.
Amor puro.

domingo, 4 de janeiro de 2009

Vida

Amor.
Homem e Mulher.
A notícia.
Nascimento.
Bebê.
Crescimento.
Criança.
Menina.
Amadurecimento.
Mulher.
Nova geração.
Netos.
O ciclo continua.
Vida após vida.
Infinito?
Fim.

Esperanças

O sangue corre nas veias.
Pulsa seu coração.
Te faz respirar.
Alimenta teu corpo.

Bate forte, paixão.
Bate calmo, amor.
Espera o tempo.
Tudo ou nada.

Pensamento que não pára.
Esperança que paira.
Sentimento que renova no peito.

Vontades inexplicáveis.
Medos tenebrosos.
Arrisca.

Vibração positiva.
Sorte.
Perguntas sem respostas.

Caminhos que se abrem.
Dois lados.
Escolha e pecorra.
Oportunidades.
Segure-as.

Fim inesperado.
Não desista.
Viva.
O certo está para chegar.

sábado, 3 de janeiro de 2009

Meios de comunicação

Celular.
Computador.
Pode nos juntar.
Mas também separar.
Distância?
Saudades!

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Preocupações

Hoje acordei e olhei para o azul do céu.
Senti o sol aquecer meu rosto.
Veio um leve vento quase puro me tocar.
Arrepio!
Preciso de inspiração?
Estou sem palavras.
Nada sai da minha cabeça.
Minha mente está a mil.
Penso tanto.
Esqueço de mim.
Segunda-feira tudo recomeça.
Terça-feira, quarta-feira...
Quinta-feira, sexta-feira.
Contagem regressiva.
Logo chega final de semana.
Tranquilidade.
Pena que dura pouco.
Uma nova segunda-feira vem.
Rotina.
Cansaço.
Liberdade?
Férias que mais parece recesso.
Talvez seja porque não estou feliz com o que faço.
Perguntas?
Sem respostas.
Espero sinais.

quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

Mais um novo ano

Houveram fogos e cada vez mais belos.
Um ano de 2009 que somado dá 11.
Onde a soma deste dá 2.
Um ano par, será de paz?
União.
Formam-se casais.
Será que eu o encontro?
Meu coração precisa ser preenchido.
Ele bate.
Ressaca?
Não porque bebi, só não dormi.
Verde, será a esperança de vivermos melhor?
Rosa, amor?
Amarelo, dinheiro?
Supertição.
Para os que acreditam, boa sorte!
Feliz?
Vi muitos à trabalharem.
Será que eles terão bom ano?
Digno, aquele que tem emprego.
Imprevisível, aquele que só tem trabalho.
Dívida, não queremos mais.
Hoje posso dizer que tu me deves desde o ano passado.
Apesar de ter sido ontem.
Vida.
Vivam, esse é nosso grande mérito.
Amem, sorte daquele que tem alguém do seu lado que possa sempre contar.
Deus.
Amém!
Perdoem, qualidade de poucos.
Doem, sintam o quanto é bom ver um sorriso.
Estudem, sem isso nada seríamos.
Trabalhem, para merecer seu reconhecimento.
Planos?
Que se concretizem.
Desejo-nos, mais um ano novo feliz!